Tipos de Prótese Peniana - Conheça os diferentes Implantes Penianos

 

 

tipos de protese_blog-1.jpg

A escolha do tipo de prótese peniana a ser implantada em cada paciente leva em consideração fatores como: condição médica; qualidade de vida; preferência do paciente e custos. Nem sempre a prótese mais cara é a melhor opção. Por isso, em mais de 17 anos de experiência em implante de próteses, sempre procuro fazer uma longa entrevista com o paciente para conhecer melhor seus hábitos e indicar a prótese mais acertada.

TIPOS DE PRÓTESE EXISTENTES

 

Prótese maleável ou Semirrígida

As próteses penianas maleáveis são compostas por filamentos de uma liga metálica envolvidos por silicone, o que permite uma boa rigidez e, ao mesmo tempo, a maleabilidade do pênis. Para disfarçar a ereção no dia-a-dia, ele pode ser posto para baixo ou para os lados. Na hora do sexo, basta colocá-lo outra vez em posição reta. Esta prótese tem a vantagem de não apresentar vazamentos de líquidos e o implante nunca parar de funcionar. Portanto, a necessidade de troca é muito menor quando comparada aos modelos infláveis. O grau de maleabilidade do pênis não depende apenas do tipo da prótese. O fator principal é o procedimento cirúrgico adequado, que leva em consideração as estruturas dos corpos cavernosos de cada paciente. O grande diferencial para um melhor resultado cirúrgico é a reconstrução dos corpos cavernosos destinada à recuperação do tamanho e do calibre do pênis, associada ao dimensionamento correto do implante no órgão reconstruído, o que permite maior maleabilidade do pênis e a satisfação do paciente.

 

Prótese Articulável

O implante articulável é parecido com o maleável, com a diferença de que pode ser dobrado mais facilmente. Ele oferece aos pacientes um pouco mais de facilidade para ocultar a ereção do que o modelo maleável, porém tem menor firmeza na penetração (que também chamamos de rigidez vertical ou axial).

 

Prótese Inflável

As próteses penianas infláveis de dois volumes formam um “sistema hidráulico” composto por dois cilindros implantados no pênis. Eles são ligados a uma minúscula bombinha, que fica alojada no escroto. Neste tipo de implante, o homem pressiona a bombinha, que contém soro fisiológico, até os cilindros inflarem, produzindo a ereção. Após o ato sexual, pressiona-se o pênis para baixo por alguns segundos para que o líquido retorne ao reservatório, retomando a flacidez. A maior vantagem dessas próteses é a discrição, porém é importante saber que elas são passíveis de falhas mecânicas, ou seja, vazamentos do líquido, o que demanda nova cirurgia para troca.

As próteses infláveis de três volumes são semelhantes às de dois volumes, com a diferença que, além dos dois cilindros e da bombinha, incluem um reservatório de soro fisiológico, instalado de forma imperceptível no abdômen do paciente. A principal diferença é que ela tem um maior volume de troca de líquido no sistema, permitindo maior enchimento dos cilindros quando acionada para ereção e maior flacidez quando desativada. Ressalto que esse tipo de prótese também está suscetível a vazamentos de soro, isso ocorre na minoria dos casos porém obriga a troca.

 

PRÓTESE TESTICULAR

 

A ausência de um testículo pode gerar muitos problemas psicológicos. Por isso o implante de prótese de silicone, além de oferecer um efeito estético de simetria, pode sanar um grave problema de autoconfiança do indivíduo. A perda ou atrofia do testículo, que ocorre em 0,1 % dos meninos, pode ser causada por traumas físicos, torção de testículo, caxumba ou câncer, que obrigam a retirada do testículo. No caso de uma cirurgia para corrigir a curvatura peniana, por exemplo, o implante da prótese testicular pode ser feito no mesmo procedimento.

 

O QUE CONSIDERAR NA ESCOLHA DA PRÓTESE PENIANA

 

A escolha do tipo de prótese deve incluir algumas considerações, como:

  • Condição médica
  • Estilo de vida
  • Preferência pessoal
  • Custos

 

A PRÓTESE DE MAIOR CUSTO SERIA A MELHOR?

 

Tenho grande experiência no implantes de todos os tipos de próteses penianas (maleáveis, articuláveis ou infláveis). Muitos homens apresentam esta dúvida, porém esta é uma questão relativa e não há uma resposta única:

  • Temos pacientes com boa condição financeira que acabam optando pela prótese maleável por ser mais prática e exigir menos habilidades manuais para manuseá-la;
  • Também temos pacientes com menor condição financeira que fazem um esforço para implantar o modelo inflável por questão de discrição (maior naturalidade aos olhos em estado flácido).
  • Da mesma forma que pacientes com menos idade têm grande preocupação com a discrição;
  • Há outros pacientes que, por problemas orgânicos de enchimento de sangue no pênis (ex.: disfunção venoclusiva) em que a prótese maleável não resolveria satisfatoriamente o problema.

 

O fundamental é avaliar cada paciente com indicação de prótese peniana de maneira individualizada, pois podem existir condições ou doenças associadas que requerem abordagem diferenciada no implante, tanto no procedimento cirúrgico quanto na escolha do melhor tipo de prótese peniana. A intenção sempre será obter o melhor resultado e máxima satisfação do paciente, ou seja, atender às expectativas do paciente com a melhor relação custo-benfício. 

Esta avaliação criteriosa tem início a partir de algumas perguntas, além de exames específicos que realizo durante a consulta. A maneira mais precisa de estudar a funcionalidade do pênis é através da um exame com ereção induzida artificialmente, associado à um ultrassom de alta definição para avaliar a estrutura interna do pênis.

É fundamental a experiência e especialização do médico em tratamentos penianos para a realização deste exame, o paciente recebe o diagnóstico no momento da consulta prsencial. Caso seja de seu interesse, responda este formulário para avaliação da disfunção erétil. Estou aqui para ajudá-lo!

 

LEIA MAIS

Como sei que preciso de uma prótese peniana?

Quanto custa uma prótese peniana?

Doença de Peyronie e disfunção erétil.

Cirurgia de implante peniano e diferenciais da Técnica Egydio.

  

Dr. Paulo Egydio

MD, PhD, Referência Mundial no Tratamento da Doença de Peyronie, Pênis Curvo e Implante de Próteses Penianas. Doutor em Urologia pela USP, CRM 67482.