Doença de Peyronie: Cirurgia com a Técnica Egydio 2.0

POR Dr. Paulo Egydio

Técnica Egydio 3.0 e Doença de Peyronie

Em 2020, comemoramos 20 anos da Técnica Egydio, e para comemorar a evolução desta técnica que já ajudou tantos pacientes a recuperarem sua saúde sexual e autoestima, desenvolvemos uma série com 04 episódios. Para ler o blog anterior, onde falo sobre a Técnica Egydio 2.0 como aliada da Prótese Peniana, clique aqui

Neste blog, falaremos sobre como a Técnica Egydio 2.0 pode ser utilizada para solucionar a Doença de Peyronie e quais os cuidados que os cirurgiões devem ter na hora de corrigir a curvatura adquirida de seus pacientes. 

Técnica Egydio 2.0 como solução para a Doença de Peyronie 

A Doença de Peyronie, responsável pelas deformidades no pênis, causa problemas específicos em cada paciente. Isso quer dizer que alguns homens sofrem com afinamento, outros com perda de tamanho, outros com tortuosidade aguda, e alguns podem ter uma combinação entre essas deformidades. 

Tipos de Fibrose PenianasImagem: © Egydio Medical Center - Todos os direitos reservados

Então, para solucionar os transtornos causados pela Doença de Peyronie e suas particularidades, é preciso aplicar a Técnica Egydio levando em consideração o problema a ser resolvido de acordo com a singularidade do problema enfrentado por cada paciente. 

Em caso de afinamento, são realizadas incisões verticais que garantem maior expansão tecidual do pênis. Já nos casos em que a diminuição de tamanho é o problema, são realizadas incisões horizontais que permitem que o pênis seja alongado de acordo com os limites dos nervos cedidos pela ciência.  

Não existem padrões para as deformidades causadas pela Peyronie, porque as fibroses podem ser calcificadas, localizadas, superficiais e profundas. Para que você conheça os tipos de fibroses existentes, escrevi um blog sobre o assunto que você pode acessar clicando aqui.  

É de suma importância que o urologista cirurgião que irá realizar o procedimento conheça as especificidades da deformidade de cada paciente, para que consiga melhor reconstrução aliado à recuperação de melhor calibre e tamanho. 

Isso possibilitará que, ao implantar a prótese peniana, seja possível utilizar uma prótese que corresponda às novas medidas do pênis reconstruído do paciente. Permitindo que o paciente tenha um resultado satisfatório e recupere sua autoestima e qualidade de vida. 

Fases da Doença de Peyronie 

A Doença de Peyronie pode ser progressiva, que acontece quando a fibrose curvou pouco o pênis mas não atrapalha totalmente a penetração e não escapa com facilidade. Para esse quadro, é possível utilizar o tratamento medicamentoso. Dependendo do grau de intensidade da doença de Peyronie, é possível que o paciente com uma tortuosidade mais leve viva por anos sem a necessidade de uma cirurgia. 

Para que você saiba mais sobre as fases da Doença de Peyronie, escrevi um blog que você pode acessar clicando aqui.

Quando a fibrose progride e o paciente perde a qualidade de ereção e penetrativa, é indicada a solução através do tratamento cirúrgico. Este tratamento depende da intensidade da fibrose, ou seja, pode tanto ser uma cirurgia mais profunda e complexa como pode, também, ser um procedimento apenas de retificação do pênis, onde, não necessariamente se faz preciso o implante de prótese peniana.

O paciente que evolui rapidamente e seu quadro clínico piora devido a outros problemas de saúde, como Diabetes, problemas cardiovasculares, tratamentos de câncer de próstata, entre outros, só tem como alternativa o tratamento cirúrgico. 

A reconstrução peniana, levando em consideração as especificidades da deformidade de cada paciente,  tem de ser associado ao implante da prótese peniana levando em consideração todas as necessidade de recuperação do bom funcionamento do pênis de cada paciente. 

tecnica-egydio-principios-geometricos-ptImagem: © Egydio Medical Center - Todos os direitos reservados

Técnica Egydio 2.0

O conceito da Técnica Egydio consiste em realizar a reconstrução peniana baseado nos tipos de deformidade do pênis de cada indivíduo. Ou seja, a estratégia de correção e o princípio matemático para calcular o número de incisões e onde elas devem ser realizadas precisa ser pensada com muita cautela para cada paciente. Por isso reforço a importância do urologista cirurgião conhecer previamente as necessidades do seu paciente para personalizar a técnica. 

Uma das grandes atualizações existentes na Técnica Egydio 2.0 é a possibilidade de realizar o procedimento de reconstrução utilizando um número menor de incisões, tanto na vertical quanto na horizontal. Com a finalidade de permitir expansão tecidual e manter a resistência do tecido, utilizar menos incisões evita que haja abaulamentos e não contenção do cilindro da prótese dentro do corpo cavernoso. 

No vídeo abaixo, explico com mais detalhes como a Técnica Egydio pode solucionar problemas causados pela Doença de Peyronie. Assista. 

Técnica Egydio 2.0 e Doença de Peyronie

Se você ficou com alguma dúvida, me envie uma mensagem no WhatsApp ou entre em contato através do formulário do site. Terei o prazer em atendê-lo com total sigilo e segurança. 

ENVIAR UM WHATSAPP

Dr. Paulo Egydio

MD, PhD, Referência Mundial no Tratamento da Doença de Peyronie, Pênis Curvo e Implante de Próteses Penianas. Doutor em Urologia pela USP, CRM 67482.

INSCREVA-SE NO BLOG