Tratamentos para Disfunção Erétil pós Prostatectomia Radical

POR Dr. Paulo Egydio

blog-disfuncao-eretil-pos-prostatectomia-radicalA Prostatectomia Radical é uma cirurgia pélvica, realizada para a remoção da glândula prostática e vesículas seminais em pacientes com câncer de próstata. Esse procedimento cirúrgico traz sequelas como a incontinência urinária e a disfunção erétil. Neste blog, você irá conhecer alguns tratamentos para disfunção erétil em pacientes que fizeram a prostatectomia radical e como são as relações sexuais após o implante da prótese peniana. 

Quais os tipos existentes de prostatectomia?

A prostatectomia radical pode ser realizada de três formas: 

  • Cirurgia Via Aberta: realizada através de um corte na região inferior do períneo ou abdômen;
  • Laparoscópica: realizada através de um corte perineal minimamente invasivo;
  • Robótica: realizada com o uso de um robô, o que minimiza os danos nos nervos.  

É importante ressaltar que, independente do tipo de prostatectomia realizada, o paciente pode desenvolver disfunção erétil que acontece  através da lesão dos nervos, durante a remoção da próstata. Logo, precisará de tratamento para solucioná-la

Reabilitação Sexual

Após a realização da prostatectomia radical o paciente deve ser iniciado com a reabilitação sexual, que tem o intuito de recuperar a oxigenação peniana. Esse procedimento deve ser posto em prática assim que a sonda do paciente for removida. 

Durante o sono é normal que o homem tenha ereções involuntárias que são de extrema importância para a oxigenação do pênis. O que ocorre é que, após a prostatectomia radical, essa oxigenação cai, resultando em fibroses que podem se desenvolver na túnica albugínea ou nos corpos cavernosos. 

Tratamentos não cirúrgicos para Impotência Sexual 

Para evitar que essas fibroses ocorram existe o tratamento com vasodilatadores de consumo oral. Esses medicamentos têm a função de expandir os corpos cavernosos permitindo que a oxigenação do pênis ocorra. 

Nesse quadro, a existência de fibroses pode significar que o paciente começou sua reabilitação tardiamente, assim, os medicamentos orais não farão efeito. Então, para solucionar esse problema, passa-se a considerar o tratamento injetável

A injeção peniana tem ação direta nos vasos cavernosos e pode auxiliar o paciente na reabilitação sexual pós operatório e, também, na solução da disfunção erétil. 

Existem algumas orientações e ressalvas a serem feitas a respeito do uso de injeções penianas. Para orientá-lo adequadamente a respeito do assunto e incentivá-lo a procurar um urologista, escrevi um blog sobre injeções penianas que você pode ler ao clicar aqui. 

Tratamento Cirúrgico para a Disfunção Erétil 

Se o paciente não der início à reabilitação sexual o mais rápido possível após a operação, pode sofrer consequências indesejadas como afinamento do pênis, diminuição de tamanho, curvatura e fibroses penianas.  

É de extrema importância que o paciente seja assistido por um médico urologista da primeira etapa da reabilitação até sua conclusão. Esse tempo de acompanhamento varia de paciente para paciente, podendo levar de meses à anos. 

Em alguns casos, durante a reabilitação, o médico urologista responsável pelo paciente pode perceber que seu quadro clínico não melhora e que a recuperação do pênis não faz efeito. Passa-se, então, à considerar o tratamento cirúrgico para Disfunção Erétil com implante de prótese peniana. 

Mas, somente o implante da prótese peniana em um paciente com sequelas da má reabilitação sexual, não soluciona o afinamento e nem o encurtamento do pênis. 

Para que tanto a rigidez peniana quanto a correção dos problemas causados pela má reabilitação sejam solucionados, é preciso que seja feita uma reconstrução peniana

É possível reconstruir o pênis sem a utilização de enxertos que precisam de muitas linhas de sutura, diferentes tamanhos e espessuras e que oferecem pouca resistência para o paciente, através da Técnica Egydio. Escrevi um blog sobre o uso do enxerto e métodos mais eficazes e menos invasivos de reconstrução peniana que você pode ler ao clicar aqui. 

A reconstrução peniana irá expandir os tecidos penianos, tanto horizontalmente quanto verticalmente, à depender de cada caso, o que irá recuperar seu tamanho no limite dos nervos. Após a reconstrução e solução dos problemas causados pela prostatectomia, realiza-se, então, o implante da prótese peniana. A reconstrução somada ao implante, garantem ao paciente a rigidez necessária para um ato sexual satisfatório. 

Como são as relações sexuais pós implante? 

Uma das dúvidas mais frequentes entre meus pacientes é sobre como será sua vida sexual após a cirurgia de prostatectomia radical, reconstrução e implantação da prótese peniana. 

O paciente continuará tendo orgasmo porque ele é um estímulo cerebral causado pela erotização. O que muda com a retirada da próstata é que a ejaculação é seca, não há liberação de sêmen.

Sobre a sensibilidade peniana, é importante ressaltar que, mesmo que ocorra a lesão do nervo que fica atrás da próstata, a sensibilidade permanece a mesma. O nervo é responsável pela vasodilatação e não pela sensibilidade da glande. 

Abaixo, você encontra um vídeo onde falo mais sobre os tratamentos da disfunção erétil causada pela prostatectomia radical e como o implante de prótese peniana somado à reconstrução podem oferecer ao paciente melhor qualidade de vida sexual e bem estar. 

video-disfuncao-eretil-pos-prostatectomia-radicalSe passou pelo processo de prostatectomia radical e desenvolveu um quadro de disfunção erétil, entre em contato conosco através preencha o formulário do site. Estamos aqui para ajudá-lo. 

ENTRAR EM CONTATO

Dr. Paulo Egydio

MD, PhD, Referência Mundial no Tratamento da Doença de Peyronie, Pênis Curvo e Implante de Próteses Penianas. Doutor em Urologia pela USP, CRM 67482.

INSCREVA-SE NO BLOG