Mitos e Verdades sobre o sexo - Veja as principais dúvidas

Neste post blog falo sobre algumas dúvidas que envolvem a vida sexual do casal, mesmo que você seja uma pessoa experiente é comum surgir perguntas, principalmente com as mudanças que ocorrem com o avanço da idade. Há algum tempo gravei este video para o canal #NasGarrasdoLeao, no Youtube. Muitos pacientes comentam e elogiam esta matéria, por isso decidi publicar este post para esclarecer os Mitos e Verdades que podem surgir quando o assunto é saúde, sexo e desejo sexual. Leia ou assista ao vídeo no final deste post!

 

Depois dos 50 anos o homem não precisa mais usar camisinha?

Isso é mito.

O uso do preservativo é indicado para o planejamento familiar e para o controle das doenças sexualmente transmissíveis. Logo, após os 50 anos de idade a camisinha ainda é indicada pois o homem pode diminuir a sua capacidade de fertilização, porém continuar fértil. Todo homem deve usar o preservativo em qualquer idade para praticar sexo protegido e evitar a gravidez indesejada.

 

A alteração física altera o prazer sexual?

Isso é mito, mas fiquem atentos.

A alteração física, seja ela no corpo do homem ou da mulher, não chega a afetar o prazer sexual. Entretanto existem outras questões que envolvem a questão do desejo sexual, como a forma de tratamento um com o outro, a maneira de erotizar, o que é falado na hora da relação, o que causa desejo no parceiro(a), criar situações de erotização. Esse conjunto de atitudes faz uma diferença muito maior do que o aspecto físico propriamente dito. A pessoa pode ter um corpo físico maravilhoso, porém se não houver o engajamento do casal para uma boa atividade sexual isso não será suficiente. Deve-se trabalhar a afetividade, o toque, questões que promovam a manutenção de uma vida sexual ativa e saudável.


Remédios que melhoram o desempenho sexual podem ser usados regularmente?

Verdade, porém com as devidas ressalvas.

Os remédios para ereção não devem ser usados de maneira aleatória, a automedicação não é uma prática indicada pois muitas vezes o homem com problema de ereção pode estar mascarando um problema na artéria coronariana (artéria do coração). Este homem estará vulnerável a ter um infarto se ele não fez um check up periódico, por exemplo. O ideal para todo homem que está enfrentando a disfunção erétil é fazer uma avaliação cardiológica, ou com seu clínico geral, para consultar a pressão, verificar se há arritmia cardíaca, se toma algum remédio que é incompatível com esses remédios para ereção. Afastando qualquer problema cardiovascular, aí sim ele pode fazer o uso desses remédios com segurança.

Clique aqui para responder o formulário que preparei para avaliar o grau de disfunção erétil.

Com as respostas poderei encaminhar uma pré-avaliação do seu caso e já ajudá-lo.

 

Toda a mulher que entra na menopausa necessita de reposição hormonal?

Isso é mito.

A menopausa trata-se da última menstruação, porém às vezes o ovário da mulher ainda produz uma quantidade de hormônio adequada para a manutenção do desejo e para manter uma boa lubrificação vaginal. A alimentação também pode interferir nesse equilíbrio e, neste caso, não será necessário a reposição. Como a mulher é mais cuidadosa e frequenta o seu ginecologista, é recomendado que ela reporte as questões relacionadas à sua vida sexual. O médico deverá avaliar a condição vaginal, se há uma alteração da mucosa que sugira a necessidade de uma reposição hormonal, por exemplo.

Uma observação importante é que a adequação dos níveis de hormônio não necessariamente precisa agir no corpo como um todo, no caso da mulher podem ser usados os óvulos intravaginais (que possuem hormônios para agir internamente). Para melhorar a questão da libido, do desejo sexual, também existem as opções em gel ou adesivo para absorção através da pele, tanto para a mulher quanto para o homem. Em menor escala do que as mulheres, nós também precisamos de reposição hormonal pois os níveis de testosterona também tendem a diminuir com a idade.

Exercícios físicos são fundamentais para o desempenho sexual?

Um pouco de mito e verdade, o limite é muito tênue.

Todo exercício físico ajuda a melhorar a condição cardiorespiratória, as taxas hormonais, desde que não seja um exercício físico exagerado. Por exemplo, o maratonismo não é um exercício físico adequado para o corpo em todas as idades. Cada faixa etária possui uma atividade aeróbica que é possível e segura, um exercício físico regular, 3 vezes por semana, meia hora por dia. Se um idoso tentar fazer o mesmo esforço físico do jovem, por exemplo, ele vai se machucar. Um outro ponto importante é que nem sempre é necessário frequentar a academia, pequenas atividades cotidianas sempre ajudam a melhorar a função metabólica. Uma dieta balanceada também é fundamental para manter as boas condições de saúde, peso, pressão arterial, entre outros. Eu chamo isso de estilo de vida saudável.

Quanto menos se faz sexo, menos se tem vontade de fazer?

Isso é um pouco de mito, mas o contrário acontece.

O casal que possui uma atividade sexual mais regular, que é mais atuante, obviamente pensa mais em sexo. Neste sentido, se o casal promove mais afetividade, criando situações de erotização com maior periodicidade, promovendo a facilidade para receber um estímulo, logo terá mais vontade. No dia-a-dia, quanto mais se faz mais a gente pensa e vice-versa. Por isso recomendo aos casais que, em qualquer idade, tenham essas pequenas atitudes como parte de sua vida cotidiana. Claro, sempre de maneira saudável e respeitando o espaço de cada indivíduo.

Eu vivencio com frequência no consultório casais que estão em fase de eventual desestruturação, porém nem sempre o problema está relacionado à afetividade. Quando o homem procura pouco, ou desempenha mal, é comum a mulher imaginar que o problema é com ela, que o homem não a deseja mais, que não a ama ou eventualmente tem outra parceira sexual. Muitas vezes o problema maior é a dificuldade de ter ou manter a ereção. Uma vez que essa condição é tratada, melhorando a autoestima e confiança do homem, ele irá naturalmente procurar mais a mulher. Muitos desses atritos que eu vivencio diariamente são sanados após o tratamento, o casal restabelece uma vida plena, com harmonia e felicidade.

O envolvimento do casal é fundamental neste processo, é cada vez mais comum eu receber homens que desejam se tratar, porém foi a parceira que agendou a consulta. A mulher está mais acostumada a cuidar-se desde cedo e tem esse jeito carinhoso de se preocupar com a saúde e bem estar do homem. Frequentemente recebo casais para serem conduzidos, onde eu abordo as questões masculinas, as questões femininas, entendo como cada um lida com o outro e ajudo-os a restabelecer este equilíbrio como casal.

 

Caso prefira, assista ao video desta matéria!

 

 


LEIA MAIS POSTS SOBRE O NOVEMBRO AZUL

Câncer de Próstata - Como prevenir e Consequências do Tratamento

Câncer de Próstata e Prótese Peniana - Saiba Qual a Relação

Diabetes, Impotência e Prótese Peniana - Veja a relação

 

Dr. Paulo Egydio

MD, PhD, Referência Mundial no Tratamento da Doença de Peyronie, Pênis Curvo e Implante de Próteses Penianas. Doutor em Urologia pela USP, CRM 67482.