Incontinência Urinária Masculina: Causas, Sintomas e Tratamento

 

INCONTINÊNCIA URINÁRIA.jpg

Incontinência urinária masculina é a perda involuntária de urina que acomete os homens. Para muitas pessoas, esta condição é uma fonte de constrangimento e dificuldade social, que costuma ser escondido e não tratado, podendo afetar de forma dramática a qualidade de vida dos pacientes, limitando suas atividades sociais, exercícios físicos e sua vida sexual e profissional, comprometendo o bem-estar físico, emocional, psicológico e social. Se você tem este problema, você não está sozinho.

A incontinência urinária é um problema que afeta mais de 10 milhões de pessoas no Brasil, sendo que em pelo menos 25% dos casos acomete os homens.

As causas da Incontinência Urinária Masculina podem ser: trauma, doença neurológica e sequelas de cirurgia de próstata ou uretra. A incontinência urinária no homem possui a maior incidência por falha na função esfincteriana (deficiência do músculo esfíncter) pós cirurgia de próstata: de 2 a 10% em casos de Prostatectomia Radical (remoção da próstata no tratamento cirúrgico do câncer de próstata) e 1% em casos de Tratamento da HPB (Hiperplasia Prostática Benigna).

Pacientes submetidos a esses procedimentos cirúrgicos poderão sofrer de incontinência urinária de variados graus, como também pode ser um processo temporário ou definitivo. O grau de incontinência urinária pode ser leve, moderada ou severa. Importante saber que a incontinência urinária tem tratamento, que poderá curar ou minimizar o problema.

A incontinência urinária pós tratamento cirúrgico do câncer da próstata (prostatectomia radical) pode ser uma incontinência temporária ou definitiva. O grau de incontinência varia para cada paciente.

É importante saber que a incontinência urinária é tratável e geralmente curável.

Estudos clínicos demonstram que uma abordagem diagnóstica e terapêutica bem feita permite tratar eficientemente a grande maioria dos pacientes.

Fundamental uma avaliação criteriosa, para obtenção do melhor diagnóstico e definição do tratamento mais adequado.

 

Causas da Incontinência Urinária Masculina

As causas da incontinência urinária masculina são bastante variadas, tais como problemas neurológicos, traumas, congênitos, porém a causa mais frequente no homem está associada a cirurgias de próstata. Durante a cirurgia pode ocorrer lesão de nervos responsáveis pelo mecanismo do esfíncter. Outra causa pode ser contrações involuntárias da bexiga (bexiga neurogênica).

O tratamento cirúrgico do câncer de próstata é uma das principais causas de incontinência urinária, em maior ou menor grau. Os pacientes submetidos à ressecção transuretral da próstata(Hiperplasia Prostática) podem evoluir com incontinência urinária, em aproximadamente em 1% dos casos. Nos pacientes submetidos à prostatectomia radical esta complicação pode ocorrer entre 2% a 10% dos casos (conforme literaturas).

É importante saber que a incontinência urinária é tratável e geralmente curável.

Estudos clínicos demonstram que uma abordagem diagnóstica e terapêutica bem feita permite tratar eficientemente a grande maioria dos pacientes.

O grau de incontinência urinária pode variar de perda parcial a total do controle da bexiga. Estas perdas involuntárias de urina podem ser em quantidades variadas e a intensidade do problema pode variar com o tempo.

A incontinência urinária decorrente de uma cirurgia na próstata pode ser temporária ou definitiva e pode ocorrer devido a um problema primário da bexiga ou ao enfraquecimento do esfíncter da uretra que é responsável por conter a urina. Muitos dos pacientes submetidos à cirurgia para tratamento de câncer de próstata apresentam incontinência urinária temporariamente após a cirurgia. O grau de incontinência varia para cada paciente. Na maioria dos casos, a continência vai melhorando progressivamente durante o primeiro ano após a cirurgia de tal forma que somente 3 a 20% do pacientes irão precisar de tratamento.

Na maioria dos casos, a incontinência urinária decorrente de uma cirurgia na próstata é temporária e autolimitada. Para os casos em que a continência não melhora espontaneamente, temos algumas modalidades de tratamento, dependendo das características e da gravidade de cada caso. Importante uma avaliação do seu caso, para chegar ao melhor diagnóstico, orientá-lo sobre as chances de tratamento e sobre as melhores alternativas de tratamento possíveis.

O uso de fraldas ou outros produtos absorventes (existem produtos absorventes específicos para homens, com o desenho da anatomia masculina) ajudarão o paciente durante o período em que está recuperando a continência.

 

Sinais de Incontinência Urinária Masculina

Existem diferentes sinais de incontinência urinária masculina:

  • Perda involuntária de urina durante atividade física
  • Necessidade urgente de urinar
  • Vazamento contínuo

 

Pergunte a si mesmo:

Você perde urina inesperadamente?

É uma perda suave? Moderada? Ou Grave?

A perda de urina ocorre quando você corre, espirra ou dá risada? Ocorre quando você está sentado ou deitado?

Estas questões foram concebidas para mostrar os diferentes sintomas que indicam os vários tipos de incontinência. Converse com o médico urologista para discutir as respostas dessas perguntas.

Incontinência Urinária Masculina – Diagnóstico

Observamos que a incontinência urinária masculina pode ter várias causas. A realização de exames complementares é tão importante quanto o exame físico realizado no consultório, para um diagnóstico correto e mais preciso.

Alguns exames que podem ser solicitados para complementação do diagnóstico:

  • Exame de urina
  • Ultrasonografia
  • RX de bexiga
  • Estudo Urodinâmico
  • Diário miccional

Importante frisar que uma avaliação criteriosa particularizada é fundamental para melhor diagnóstico do seu caso e definição do melhor tratamento.

 

Tratamentos para Incontinência Urinária Masculina

O tratamento da incontinência urinária masculina depende essencialmente do tipo de incontinência e da severidade das perdas urinárias.

A disfunção vesical, a incompetência esfincteriana e a obstrução podem ser tratadas mediante:
– agentes farmacológicos;
– terapia comportamental;
– reabilitação pélvica;
– estimulação elétrica;
– cirurgia.

Os pacientes que permanecem com incontinência urinária por mais de 12 meses após a cirurgia na próstata, devido ao enfraquecimento do mecanismo esfincteriano da uretra e que não apresentem uma boa resposta aos tratamentos clínicos e menos invasivos, podem recorrer ao tratamento cirúrgico.

Como descrito acima, existem vários tipos de incontinência urinária:

– LEVE: uso de um a dois absorventes por dia

– MODERADA: uso de três a cinco absorventes por dia

– SEVERA: uso de cinco ou mais absorventes por dia

Por isso, fundamental uma avaliação criteriosa particularizada para cada caso, para obtenção de um diagnóstico correto e mais preciso e, consequentemente, definição do tratamento mais adequado, que pode ser:

– Tratamento Clínico

– Tratamento Cirúrgico

Dispositivos externos

Dispositivos externos, tais como sondas de látex, são produtos de armazenagem de urina que podem ser úteis para o tratamento da incontinência de curto prazo nos homens.

Os dispositivos mecânicos incluem clamp peniano (por exemplo, a pinça Cunningham) e anéis de compressão. O clamp peniano é um invólucro em forma de V, com uma almofada de espuma que se encaixa sobre o pênis e que quando fechado, interrompe o fluxo de urina, sem causar desconforto.

Incontinência Urinária Masculina – Tratamento Clínico por Exercícios de Kegel

Após a cirurgia da próstata, como primeira opção de tratamento, o urologista costuma prescrever para o paciente os “exercícios de Kegel“, para fortalecimento dos músculos da pélvis. São destinados a músculos específicos e o paciente poderá melhorar a sua sintomatologia. Estes exercícios devem ser praticados de forma correta para que possa oferecer um melhor resultado. Os resultados destes exercícios geralmente podem ser melhorados com o auxílio de aparelhos de “biofeedback, para o paciente aprender corretamente os músculos que devem ser contraídos e aqueles que devem ser relaxados, fortalecer os músculos ao redor da base da bexiga e da uretra.

Os exercícios de Kegel podem ser potencializados pelo “biofeedback”. Com o treinamento biofeedback desenvolveu-se em um poderoso procedimento terapêutico que poderá ser incluído no tratamento potencializando os exercícios de Kegel.

Estimulação “Biofeedback” é utilizada para ajudar as pessoas a ganharem consciência e controle de seus músculos do trato urinário. O princípio do biofeedback é simples: uma variedade de instrumentos são usados para gravar pequenos sinais elétricos que são emitidos quando os músculos específicos são estimulados para urinar.

Incontinência Urinária Masculina – Tratamento Cirúrgico

Os pacientes que permanecem com incontinência urinária por muitos meses após a cirurgia na próstata, devido ao enfraquecimento do mecanismo esfincteriano da uretra e que não apresentem uma boa resposta aos tratamentos clínicos e menos invasivos, podem recorrer ao tratamento cirúrgico:

  • Injeções Periuretrais para Preenchimento: Injeções de Agentes de Preenchimento, como Partículas de CarbonoSilicone e outros.  As injeções são realizadas na camada submucosa da uretra, geralmente em três posições. A injeção das partículas fará o ajuste.
  • Slings: É considerado um procedimento minimamente invasivo, indicado para pacientes com incontinência urinária leve a moderada, sem radioterapia prévia e com pressão de perda elevada durante testes de esforço. Os “Slings” (Sling Uretral Masculino) consistem numa faixa de polipropileno que quando implantada produz a compressão da parte inferior da uretra com a finalidade de evitar as perdas urinárias ou minimizá-las.
  • Esfíncter Urinário Artificial: Existe no mundo há mais de 40 anos. É a cirurgia mais indicada em casos de incontinência urinária moderada e severa, com resultados de 92% de satisfação. O tratamento cirúrgico mais eficiente, com maiores índices de melhora e de cura para a incontinência urinária são as do tratamento através do implante de “Esfíncter Urinário Artificial”.

O esfíncter urinário artificial é atualmente considerado o tratamento mais eficiente para pacientes com incontinência urinária por problemas no esfíncter. Além de uma alta eficiência, apresenta também um baixo índice de complicações. A taxa de sucesso na correção deste problema está diretamente ligada a um bom diagnóstico.

Dr. Paulo Egydio vem se especializando constantemente em novos tratamentos e adquirindo experiência internacional no tratamento da incontinência urinária masculina, com cursos de aperfeiçoamento em implante de esfíncter urinário artificial realizados na Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos.

Dr. Paulo Egydio

MD, PhD, Referência Mundial no Tratamento da Doença de Peyronie, Pênis Curvo e Implante de Próteses Penianas. Doutor em Urologia pela USP, CRM 67482.





Inscreva-se no blog