Doenças Cardiovasculares e Prótese Peniana - Quais os cuidados?

heart-care-1040227_640.jpg

A maioria dos homens demora, em média, de 3 a 5 anos para procurar ajuda de um urologista quando surge um problema de ereção. As doenças cardiovasculares estão entre as causas orgânicas (físicas) da disfunção erétil e podem dificultar que seu amigão esteja pronto na hora que você mais precisa dele. Todo tecido que passa a ter menor circulação sanguínea está predisposto à formação de fibroses e, no caso do pênis, isso leva à curvatura, redução de tamanho e afinamentos.

 

O QUE É DOENÇA CARDIOVASCULAR

Esse termo é usado para se referir a todos os tipos de doença arterial coronariana, ou seja, que estão relacionadas ao coração ou vasos sanguíneos (artérias e veias). É basicamente o termo utilizado para descrever qualquer doença que afeta o sistema cardiovascular.

 

COMO ISSO PODE AFETAR A EREÇÃO

No caso do endurecimento das artérias, também conhecido como arteriosclerose, esta pode tornar o fluxo de sangue dentro do pênis mais lento e afetar a capacidade de ter e/ou manter ereção. Uma outra situação é quando existem danos nas veias que mantém o sangue no pênis durante a ereção, isso pode impedir que o pênis se mantenha ereto até o final da relação sexual. Problemas como estes podem levar à formação de fibroses, curvatura peniana, redução de tamanho e afinamento do pênis.

Sim, isso é mais comum do que se pode imaginar.


DIAGNÓSTICOS PARA PRÓTESE PENIANA

É difícil para o paciente identificar se o pênis está menor, uma vez que ele não tem uma boa ereção. Ele só consegue verificar que perdeu tamanho quando faço exames específicos durante a consulta, com ereção induzida artificialmente e ultrassom de alta definição.

Na avaliação o paciente deve ser avaliado como um todo, não apenas o pênis mas também o coração e também o cérebro. Se for constatado um fluxo baixo de irrigação no pênis, é importante uma avaliação cardíaca e vascular completa. É importante manter a essência da vida, cérebro e coração com bom funcionamento, evitar um infarto ou derrame. Já tratei pacientes que tinham problemas cardíacos sérios, porém desconheciam até o momento da avaliação peniana e isso permitiu cuidar a tempo. Quero ressaltar que os remédios para ereção não são indicados para pacientes cardíacos e a auto-medicação também não é uma prática segura. No caso do implante, por exemplo, a vantagem é que não será necessário tomar remédios.

Caso seja identificada a necessidade de prótese, este é o melhor momento para recuperar o tamanho e calibre perdido. Isso é possível através da reconstrução peniana, que é realizada antes de colocar o implante, porém no mesmo procedimento cirúrgico. Este cuidado é fundamental para a sua satisfação após a cirurgia, para a sua felicidade, por isso nunca recomendo colocar uma prótese sem reconstrução.

Já respondeu o formulário que preparei, específico para casos de disfunção erétil? Caso queira, clique neste link ou então no botão abaixo.

 

Clique aqui e responda!

 

LEIA MAIS

Cirurgia de implante peniano e diferenciais da Técnica Egydio.

Como sei que preciso de uma prótese peniana?

Doença de Peyronie e discunção erétil.

Tudo sobre sobre disfunção erétil.

 

Dr. Paulo Egydio

MD, PhD, Referência Mundial no Tratamento da Doença de Peyronie, Pênis Curvo e Implante de Próteses Penianas. Doutor em Urologia pela USP, CRM 67482.





Inscreva-se no blog