Doença de Peyronie: causas e como tratar a curvatura peniana

em 11/set/2018 18:01:00

doenca_de_peyronie-causas_e_como_tratar_a_curvatura_peniana

A Doença de Peyronie, também conhecida como Curvatura Peniana Adquirida, é um dos principais motivos que deixam o pênis torto. Esta anatomia provocada por uma cicatriz na túnica albugínea - o tecido que cobre o mecanismo de ereção do pênis - tende a reduzir a elasticidade dos tecidos penianos e curvá-lo para os lados, para cima ou para baixo. Em casos mais graves, por exemplo, o pênis chega a formar um ‘L’ devido a sua tortuosidade.

Esta condição afeta diretamente a vida sexual do homem e da(o) sua(seu) parceira(o). Apesar de normalmente acontecer com homens acima de 40 anos, é importante estar atento às suas causas independente da idade. Quanto mais informações sobre a sua prevenção, menores são os riscos de adquiri-la.

Estudos mostram que a Doença de Peyronie advém de várias causas. Muitas delas podem ser percebidas com uma auto avaliação, já outras só serão diagnosticadas com um exame urológico. A visita a um urologista para uma avaliação preventiva é a melhor forma de garantir a saúde do seu amigão.

Veja a seguir alguns fatores que podem causar a Doença de Peyronie.

 

Disfunção erétil

Na maior parte dos casos a Peyronie está ligada à algum problema de ereção, que pode estar associado ao avanço da idade, ao descontrole hormonal ou à outras condições que atrapalham o fluxo de sangue dentro do pênis.

A má qualidade da ereção durante o ato sexual predispõe a ocorrência de traumas e microtraumas durante a penetração, provocando a formação de fibroses e deformidades que podem afetar diretamente na anatomia do pênis e ainda agravar a disfunção erétil já existente.

Saiba mais como os traumas e fraturas no pênis podem levar à Peyronie no próximo tópico.

 

Traumas e fraturas no pênis

A incidência de traumas no pênis pode causar a predispõem a formação da fibrose peniana, bem como quando o impacto é mais forte e fratura o seu amigão, provocando dores e incômodos que te farão procurar a emergência mais próxima. Isso acontece, normalmente, durante o ato sexual, sobretudo quando o homem está em uma posição que não lhe permite o controle da situação.

A atenção aos movimentos e o uso de lubrificação artificial são essenciais para que tudo flua bem na hora H. Situações como esta são mais comuns quando há um problema de ereção ou falta de firmeza no pênis, mas também podem acontecer quando o membro está perfeitamente ereto. Por isso ter cautela é essencial. 

Conheça as fases da doença e saiba como identificá-la ou acesse o [e-Book] completo aqui.

 

Curvatura Peniana Congênita

Diferente da Curvatura Peniana Adquirida, a Curvatura Congênita tem origem genética e normalmente é notada no início da puberdade, quando acontecem as primeiras ereções.

Muitas vezes a tortuosidade não impede as relações sexuais mas deixa o pênis mais vulnerável aos traumas. Por isso os cuidados com os movimentos e a lubrificação correta devem ser redobrados.

Se o pênis escapa com frequência é sinal que a curvatura está atrapalhando e aumentando a possibilidade de traumas e fraturas, que levarão à formação de fibroses. Fique atento ao seu desempenho e envie uma mensagem através deste link caso algo similar esteja acontecendo com você. Minha equipe e eu daremos todas as instruções necessárias para o seu tratamento, de maneira particularizada.

 

Diabetes e o problema de cicatrização

Homens com diabetes devem ter um cuidado extra com a Peyronie. Isso porque a elevação de glicose no sangue provoca danos no funcionamento dos vasos sanguíneos, o que favorece o surgimento de fibroses sem que tenha havido um trauma no pênis, além de dificultar a cicatrização e ser a principal causa da disfunção erétil.

Uma ereção de qualidade está diretamente relacionada ao fluxo de sangue dentro do pênis, por isso é importante controlar a doença para que os vasos sanguíneos e os nervos que dão sensibilidade na região genital permaneçam saudáveis.

 

Cirurgias na próstata e as consequências para a saúde do homem

O tratamento para o câncer de próstata pode envolver uma cirurgia, radioterapia, braquiterapia ou hormonioterapia, a depender de cada caso. Estes tratamentos, no entanto, podem deixar o homem mais suscetível a adquirir a Peyronie pois eles podem trazer consequências como a disfunção erétil e o aparecimento de fibroses no pênis.

Por isso é importante tratar as consequências provocadas pelo câncer de próstata, como a perda de rigidez, tamanho e calibre do pênis, pois elas contribuem para o surgimento das deformidades penianas e piora progressiva da Peyronie.

 

A relação entre a fibrose peniana e a Peyronie

Você deve ter percebido que há um fator em comum entre as diferentes causas que levam o aparecimento da Peyronie: a formação de uma fibrose peniana.

A fibrose é uma placa ou nódulo formada na membrana do pênis que pode ser decorrente de um trauma, fratura, problemas de cicatrização e de circulação sanguínea no membro. Ela é a principal responsável pela diferença na elasticidade dos tecidos penianos, que vão provocar a sua tortuosidade e trazer outras dificuldades. A fibrose também é seguida por um afinamento ou diminuição de tamanho do pênis. 

Por isso, ao buscar um tratamento, é importante observar se o médico está levando todos os possíveis problemas decorrentes do aparecimento da fibrose em consideração antes de oferecer uma solução para a Peyronie, que pode ser cirúrgica ou medicamentosa, a depender de cada caso.

Ao experimentar dificuldade nas relações sexuais ou dores durante o ato, consultar-se com um urologista para uma avaliação presencial é mais do que necessário para que outras orientações sejam dadas

Se você acredita que já sofreu algum tipo de fratura peniana ou tem uma curvatura que vem se agravando e atrapalha a sua vida sexual, entre em contato para iniciarmos uma conversa.

 

 ENTRAR EM CONTATO

Dr. Paulo Egydio

MD, PhD, Referência Mundial no Tratamento da Doença de Peyronie, Pênis Curvo e Implante de Próteses Penianas. Doutor em Urologia pela USP, CRM 67482.





Inscreva-se no blog