Diabetes causa Disfunção Erétil? Conheça os tratamentos

POR Dr. Paulo Egydio

blog-disfuncao-eretil-e-diabetes

A Diabetes é uma doença endócrina onde o corpo não produz insulina suficiente, ou não consegue aplicá-la adequadamente, para regulamentar o nível de glicose no sangue. A falta de dissolução da glicose causa lesões arteriais e alterações neurais.

Neste blog você vai saber como a Diabetes influência na impotência sexual e quais os tratamentos urológicos existentes para a solução desse problema. 

Quais as consequências da Hiperglicemia? 

Como o corpo não produz a insulina suficiente para diluir a glicose como deveria, acumula-se açúcar no sangue. Esse acúmulo chama-se Hiperglicemia e causa consequências sérias no corpo. São elas:

  • Doença Cardiovascular;
  • Danos nos nervos (neuropatia); 
  • Insuficiência Renal;
  • Danos nos vasos sanguíneos da retina (Retinopatia), que pode resultar em cegueira;  
  • Problemas ósseos e articulares;
  • Catarata;
  • Problemas de pele, como feridas fúngicas e não cicatrizantes, 
  • Problemas circulatórios nos pés, que podem resultar em amputação; 
  • Infecção nas gengivas e problemas nos dentes; 
  • Candidíase, pelo fato do fungo se alimentar da glicose armazenada nas células das genitálias dos pacientes diabéticos. 

Qual a relação entre Diabetes e Impotência Sexual?

Uma ereção satisfatória para uma relação sexual depende de três fatores: bom funcionamento hormonal, transmissão do impulso nervoso até a artéria peniana e dilatação arterial.

A diabetes interfere diretamente no mecanismo neural, impedindo o impulso nervoso e a sensibilidade peniana , e no mecanismo vascular, impedindo a dilatação e a pressurização peniana. Ou seja, o pênis não tem a ereção e o calibre suficientes para uma penetração sem lesões. 

Quais os tratamentos clínicos para a impotência sexual causada pela diabetes?

Existem medidas que podem ser tomadas para que a diabetes seja controlada e, assim, evitar ou conter, a impotência sexual. São eles: 

  • Controle da glicemia 
  • Controle da pressão arterial 
  • Controle do colesterol 
  • Evitar o tabagismo 
  • Praticar exercícios físicos 

 

Quais os tratamentos clínicos para a Impotência Sexual do diabético? 

Existem métodos que tratam a impotência sexual e que podem ser administrados pelo paciente. Esses métodos são os medicamentos orais e as injeções penianas. 

Os medicamentos orais são indicados quando os problemas de ereção não são intensos o suficiente para partir para métodos mais radicais. 

As injeções penianas são indicadas quando os medicamentos orais já não fazem o efeito esperado. O paciente precisa ser orientado pelo seu urologista sobre a forma de utilizá-la sem causar problemas maiores ao pênis. O uso inadequado das injeções penianas pode resultar em fibroses devido à aplicação incorreta do medicamento. 

Escrevi um texto sobre o uso dos medicamentos orais e injetáveis para solucionar a Disfunção Erétil que você pode ler clicando aqui. 

Tratamentos cirúrgicos para a Impotência Sexual no diabético

Existem, também, tratamentos cirúrgicos que solucionam a impotência sexual. Quando o paciente com diabetes não consegue solucionar o problema da disfunção com o uso de medicamentos e injeções, ele pode optar pela reconstrução peniana e a prótese que se aplicadas juntas, podem recuperar não só a rigidez do pênis, mas também seu calibre e tamanho. 

A Diabetes causa deformidades no pênis como: diminuição do tamanho, afinamento, curvatura peniana e disfunção erétil. Esses problemas dificultam ou impossibilitam o bom funcionamento do pênis, e, portanto, que o paciente tenha uma ereção e penetração com qualidade suficiente para o ato sexual. 

O diabetes pode diminuir, afinar ou entortar o pênis! Isso tem solução?

Caso a prótese peniana seja implantada sem que o pênis seja reconstruído, o paciente pode ter algumas complicações não só funcionais como estéticas, como a falta de rigidez, diminuição de tamanho, afinamentos e curvatura peniana.

A Reconstrução Peniana com a Técnica Egydio, é aplicada com a finalidade de alcançar o máximo alongamento e a máxima espessura do pênis. Se aliada com a prótese peniana, o paciente terá não só uma rigidez suficiente para o ato sexual como também maior calibre e tamanho do seu pênis. 

Quais são os cuidados necessários para o implante de prótese peniana no diabético?

Pacientes com diabetes têm dificuldades de cicatrização e maior propensão em ter infecções. A Técnica Egydio utiliza o método No-Touch, desenvolvida para evitar o contato entre as mãos do cirurgião e a pele do pênis e escroto do paciente. Esse método diminui drasticamente as possibilidades de infecções e complicações pós cirúrgicas. 

Além da utilização do metódo No-Touch, existem outros cuidados que devem ser tomados para que o paciente não tenha problemas tanto durante a cirurgia de reconstrução peniana quanto na recuperação. Cuidados como: 

  • Utilização de implantes específicos com antibióticos agregados; 
  • Caso a vascularização dentro do pênis esteja baixa, podem ser utilizados vasodilatadores junto com a prótese para facilitar a chegada dos antibióticos dentro do pênis;
  • Caso a pele esteja infeccionada, trata-se a infecção antes do procedimento.

Abaixo você encontra um vídeo onde falo sobre a impotência sexual causada pela diabetes e explico os procedimentos utilizados para solucionar o problema. diabetes-e-disfuncao-eretil-video

Agora que você já conhece os tratamentos possíveis para a disfunção erétil no paciente diabético, que tal avaliar a sua condição e iniciarmos uma conversa que vai trazer a sua vida sexual de volta?

Para isso, preciso de conhecer um pouco melhor. Clique no botão abaixo e preencha o formulário de disfunção erétil.

RECEBER PRÉ-ANÁLISE

Dr. Paulo Egydio

MD, PhD, Referência Mundial no Tratamento da Doença de Peyronie, Pênis Curvo e Implante de Próteses Penianas. Doutor em Urologia pela USP, CRM 67482.

INSCREVA-SE NO BLOG