Disfunção Erétil e Impotência Sexual - Veja as Causas e Sinais

em 27/jun/2017 17:24:26

 

DISFUNCAO-ERETIL.jpg

 

A Disfunção Erétil (DE), também conhecida como impotência sexual, é um distúrbio caracterizado pela dificuldade de se obter e/ou manter, de maneira constante, uma ereção peniana adequada e suficiente para a atividade sexual satisfatória (desde a penetração até a ejaculação). Milhões de homens em todo o mundo são atormentados por problemas de disfunção erétil (impotência sexual) e por motivos de desinformação, medo ou vergonha de procurar um profissional para o tratamento adequado, acabam comprometendo seus relacionamentos, deixando de usufruir de uma vida sexual saudável e feliz, com qualidade de vida. A impotência sexual é uma circunstância frustrante que afeta não somente o indivíduo, mas também a parceira, a família, desempenho no trabalho, relacionamento interpessoal, etc. Atinge 52% dos homens entre 40 e 70 anos, em diferentes graus de intensidade (leve, moderada e severa). Milhões e milhões sofrem deste terrível problema, que pode ser algo realmente devastador na vida de um homem. A dificuldade para iniciar o tratamento adequado é o grande obstáculo a ser vencido. Portanto, conhecer o problema, vencer o medo e a vergonha e procurar ajuda médica especializada para o tratamento adequado são os principais fatores que o levarão à solução dos seus problemas.

 

COMO OCORRE UMA EREÇÃo

 

A ereção é uma reação involuntária em resposta à estimulação ou excitação sexual. O homem não pode ter uma ereção simplesmente porque quer tê-la. O estímulo ou excitação sexual fazem com que o cérebro, os nervos, o coração, os vasos sanguíneos e os hormônios trabalhem juntos afim de aumentar rapidamente a quantidade de sangue fluindo para dentro do pênis. O sangue fica preso dentro das duas câmaras esponjosas (corpos cavernosos) localizadas no corpo do pênis. Ao encherem-se de sangue, as câmaras expandem-se fazendo com que o pênis adquira rigidez e se alongue em tamanho e diâmetro.

 

FISIOLOGIA DA EREÇÃO

 

Para um maior entendimento sobre a disfunção erétil – DE, é importante compreender como o pênis funciona normalmente. O processo de ereção normal inclui as cinco fases seguintes:

  • FASE 1: Preenchimento inicial com estimulação sexual ou psicológica, neurotransmissores causam o relaxamento da musculatura lisa do pênis, aumentando o fluxo sanguíneo para os corpos cavernosos.
  • FASE 2: Ereção parcial – Tumescência – O aumento do fluxo sanguíneo alonga e expande o pênis. As artérias penianas expandem para acomodar o aumento do fluxo sanguíneo necessário para alongar e expandir o pênis.
  • FASE 3: Ereção completa – O aumento do volume de sangue dentro do pênis é impedido de drenagem, promovendo a expansão do pênis até a ereção completa.
  • FASE 4: Ereção Rígida – Máxima rigidez é atingida. A glande e o corpo esponjoso ampliam até as veias penianas serem vigorosamente comprimidas. Isso aumenta a tumescência e mantém a máxima rigidez peniana. Emissões de esperma e ejaculação ocorrem.
  • FASE 5: Retorno à flacidez – Detumescência – contrações musculares resultam no aumento do fluxo sanguíneo para fora do pênis, diminuindo assim o seu comprimento e espessura até a flacidez.

Alterações podem ocorrer durante qualquer uma das quatro primeiras fases da ereção impedindo com que você alcance ou mantenha a ereção. Embora dificuldades também possam ocorrer durante a quinta fase – detumescência, elas não são geralmente incluídas nas discussões sobre disfunção erétil.


CAUSAS DA DISFUNÇÃO ERÉTIL

 

Entre as causas de origem psicológica podemos citar:

  • Ansiedade
  • Estresse
  • Depressão
  • Baixa autoestima
  • Cansaço, fadiga
  • Sentimento de culpa
  • Ansiedade com relação ao desempenho, como medo de falhar ou de não satisfazer a parceira
  • Preocupações com dinheiro, contas a pagar, desemprego, instabilidade no trabalho, entre outras
  • Ansiedade com relação ao desempenho, como medo de falhar ou de não satisfazer a parceira
  • Preocupações com dinheiro, contas a pagar, desemprego, instabilidade no trabalho, entre outras
  • Discórdias, brigas, discussões com a parceira
  • Incidente prévio de fracasso sexual causado por excesso de ingestão de álcool ( bebedeira ), cansaço, preocupação, nervosismo, sentimento de culpa, entre outras.

CAUSAS DE ORIGEM FÍSICA ( ORGÂNICA )

 

As causas físicas da disfunção erétil geralmente afetam uma fase particular no processo da ereção. Entre as causas de origem física podemos citar:


DIABETES

A diabetes é uma das causas mais comuns da disfunção erétil. Nervos ou vasos sanguíneos que controlam o fluxo de sangue para o pênis podem tornar-se permanentemente danificados em consequência do diabetes, podendo levar à disfunção erétil.


DOENÇA DE PEYRONIE

A doença de Peyronie costuma se manifestar através de fibroses no interior do pênis, que podem provocar deformidades penianas, como curvaturas, afinamentos, perdas de tamanho. Pode provocar curvaturas penianas que se manifestam durante a ereção e que podem atingir 90 graus ou mais tanto para cima, como para baixo ou para os lados, podendo estar associada ou não a dor durante as ereções. Desta forma, pode dificultar ou até mesmo impossibilitar o ato sexual. Associado à doença de Peyronie, poderá haver disfunção erétil em graus variáveis de intensidade em até 50% ou mais dos casos.


DOENÇAS CARDIOVASCULARES

Problemas vasculares, tais como o endurecimento das artérias (arteriosclerose), pode tornar lento o fluxo de sangue dentro do pênis, o que torna difícil obter ou manter uma ereção. Obs: Uma vez que isto afeta os vasos pequenos antes de afetar os vasos maiores, encontrando um problema de disfunção erétil poderia sinalizar a presença de uma doença cardiovascular. Às vezes, as veias que mantêm o sangue no pênis durante uma ereção são danificadas e a ereção não é mantida tempo suficiente para que uma relação sexual ocorra.


PROBLEMAS HORMONAIS

Algumas doenças, tais como insuficiência renal e doença hepática, podem perturbar o equilíbrio dos hormônios, os quais controlam as ereções. Baixos níveis de testosterona também pode ser um fator.


TERAPIA COM ALGUMAS DROGAS ( REMÉDIOS )

Estudos indicam que algumas drogas (remédios), incluindo algumas prescrições para pressão arterial alta, depressão e uma série de outras condições, podem causar disfunção erétil pela interferência com os impulsos nervosos ou fluxo de sangue para o pênis. Importante: Medicamentos nunca devem ser alterados sem a permissão do seu médico. Fale com o seu médico sobre quaisquer preocupações que você tem em relação a potenciais efeitos da medicação com relação à disfunção erétil.


ALCOOLISMO

O alcoolismo perturba os níveis hormonais e pode levar a danos permanentes do nervo, causando impotência sexual.


TABAGISMO ( FUMO )

O fumo pode levar a uma doença vascular ou outros problemas de saúde, que podem causar impotência sexual.


CONSUMO DE DROGAS ILÍCITAS

O consumo de drogas ilícitas ( maconha, cocaína, haxixe, crack, etc ) acomete a parte sexual, provocando uma redução importante da parte circulatória na região peniana, podendo levar a problemas de ereção.


PROBLEMAS HORMONAIS

Algumas doenças, tais como insuficiência renal e doença hepática, podem perturbar o equilíbrio dos hormônios, os quais controlam as ereções. Baixos níveis de testosterona também pode ser um fator.


TRAUMAS NO CORPO

Traumas no corpo podem resultar em disfunção erétil. Alguns desses traumas incluem:

  • Fraturas pélvicas
  • Lesões da medula espinhal
  • Lesões Perineais
  • Danos cerebrais

TRAUMAS NEUROLÓGICOS

Traumas neurológicos podem causar disfunção erétil. Estes tipos de traumas incluem:

  • Cirurgia nas Costas
  • Lesões da medula espinhal
  • Algumas malformações congênitas, como espinha bífida
  • Tumores cerebrais e/ou aumento da pressão intracraniana
  • Doença muscular, como esclerose múltipla

PRIAPISMO

Priapismo é uma ereção que dura mais tempo do que o normal e é causada por outras razões que não o desejo sexual. Caso uma ereção dure mais de quatro horas, pode causar lesão tecidual resultando em disfunção erétil. Causas de priapismo incluem:

  • Doenças do sangue, como anemia falciforme e leucemia
  • Medicamentos (orais e injetáveis) para a disfunção erétil impropriamente prescritos ou indevidamente utilizados. Importante: Nestes casos, procure urgente um serviço de emergência mais próximo, a fim de interromper a ereção e evitar a ocorrência de graves consequências para a função erétil do pênis.

CIRURGIAS

Cirurgias que interrompem o fluxo sanguíneo ou comprometem os nervos que conduzem os estímulos responsáveis pela ereção podem resultar em disfunção erétil. Algumas destas cirurgias incluem:

  • Prostatectomia Radical (retirada da próstata em caso de tumor)
  • Cirurgias no Intestino que envolvem o reto e o períneo
  • Cirurgias na bexiga ou uretra
  • Cirurgias no feixe neurovascular ou próximo dele
  • Cirurgias na Coluna

EFEITOS DO ENVELHECIMENTO

Estima-se que 65% dos homens acima de 65 anos têm algum tipo de disfunção erétil. Estatisticamente, o número de homens que possuem este problema aumenta conforme a idade aumenta. No entanto, a idade por si só não causa disfunção erétil. Mas é natural que os homens mais velhos são mais suscetíveis a terem doenças e realizarem tratamentos ( como a cirurgia da próstata, em caso de tumor ) que podem causar disfunção erétil.


SINAIS DA DISFUNÇÃO ERÉTIL

 

A disfunção erétil ( impotência sexual ) não é um problema que desaparece sozinho. Se suspeitar, é importante fazer uma consulta médica logo que tornar-se aparente. Isso pode ajudar a evitar traumas psicológicos, que podem piorar a situação. Pode também ajudá-lo a obter um diagnóstico para uma condição física subjacente grave tais como diabetes ou doenças cardíacas, que possam primeiramente se tornar aparentes com os sintomas da disfunção erétil.


NÃO TEM CERTEZA SE TEM DISFUNÇÃO ERÉTIL?

FAÇA O AUTO-TESTE

 

Autoteste: Não tem certeza se você tem disfunção erétil ( impotência sexual )? Então experimente fazer este auto-teste. Se você responder “sim” a qualquer uma das seis primeiras perguntas, você deveria consultar um urologista que seja especializado no diagnóstico e tratamento deste problema.


DESEMPENHO SEXUAL ATUAL

  • 1. Você têm tido alguma dificuldade recentemente em atingir ereções?
  • 2. Este problema ocorre, pelo menos, três em cada quatro vezes em que você tentou ter relações sexuais? Tendências do desempenho sexual
  • 3. Você está tendo dificuldade por um período superior a um mês em atingir ereções regularmente?
  • 4. Ereções espontâneas e matinais são cada vez menos comuns?
  • 5. É preciso muito mais tempo para conseguir uma ereção do que no passado?
  • 6. Tem se tornado mais difícil ter relação sexual, em determinadas posições?

HISTÓRICO MÉDICO

  • 7. Você teve algum tipo de doença cardíaca, especialmente o endurecimento das artérias, doença arterial periférica (DAP) ou hipertensão?
  • 8. Você já realizou alguma operação de doença cardíaca ou algum outro problema cardiovascular?
  • 9. Você já teve um elevado nível de colesterol?
  • 10. Você teve alguma experiência grave de dores nas pernas ao caminhar?
  • 11. Você tem tomado algum medicamento para um problema cardiovascular, principalmente hipertensão? *
  • 12. Você está tomando drogas sob prescrição médica para qualquer outro problema? *
  • 13. Você tem algum distúrbio glandular, especialmente diabetes?
  • 14. Você tem alguma doença neurológica, tais como esclerose múltipla ou epilepsia?
  • 15. Já alguma vez realizou uma grande cirurgia na área pélvica, principalmente envolvendo a cirurgia da próstata ou cólon?
  • 16. Alguma vez já teve uma lesão envolvendo a área pélvica, costas, medula espinal, ou cabeça?
  • 17. Você já foi tratado com radioterapia para um problema na área pélvica?
  • 18. Você já teve um episódio de priapismo (ereção persistente e dolorosa)?

ESTILO DE VIDA

  • 19. Você fuma ou fumou durante um longo período de tempo?
  • 20. Você bebe com frequência ou foi diagnosticado como um alcoólatra?
  • 21. Você usou drogas ilícitas, especialmente cocaína?
  • 22. Você é um usuário freqüente de medicamentos sem prescrição médica?
  • 23. Você está obeso?
Fonte do auto-teste: Love Again, Live Again by Steven Morganstern, MD and Allen Abrahams, PhD (Prentice Hall 1988).
Dr. Paulo Egydio

MD, PhD, Referência Mundial no Tratamento da Doença de Peyronie, Pênis Curvo e Implante de Próteses Penianas. Doutor em Urologia pela USP, CRM 67482.