Prótese Peniana: Como saber se preciso de um implante?

como-sei-que-preciso-de-protese-peniana

A prótese peniana é um assunto que gera dúvidas entre os homens. Muitos pensam que a sua função é aumentar o tamanho do pênis, mas já mostramos que isso é um mito.

Curiosidades a parte, a forma mais precisa de diagnosticar a necessidade de um implante é por meio de um exame funcional do seu companheiro inseparável. Ele deve ser feito por um médico especialista, que vai induzir a ereção artificialmente e fazer um ultrassom detalhado do pênis.

Mas caso você esteja apenas começando a se informar sobre esse assunto, saiba que há alguns indicativos que sugerem a necessidade de uma prótese. É isso que você vai aprender a identificar agora.

 

O QUE É A PRÓTESE PENIANA, PARA QUE SERVE, AFINAL?

A prótese peniana é recomendada para alguns pacientes com problemas na funcionalidade no pênis. Eles podem ser decorrentes da falta de firmeza no membro, o que dificulta ou impede o ato sexual, ou uma condição que impacta em sua anatomia, como a Doença de Peyronie.

Em alguns casos, um tratamento clínico a base de medicamentos ou injeções pode resolver a situação. Em outros, o implante é a solução mais adequada, principalmente para pacientes com idade mais avançada e que sofrem de alguma condição médica que limita o uso desses medicamentos.

 

QUANDO A PRÓTESE PENIANA É INDICADA

Não há como garantir a necessidade de prótese com base apenas na teoria, cada paciente tem sua particularidade. Em mais de 20 anos de experiência na área, já vi muitos casos em que apenas o implante resolveu o problema, porém isso só foi definido após tentar algum tratamento clínico e com base em um conjunto de fatores. Conheça alguns exemplos a seguir.

Se você estiver enfrentando problemas de ereção há algum tempo ou se percebeu alguma modificação na anatomia do pênis nos últimos meses, entre em contato através deste link e vamos juntos buscar a solução. 

 

Quando o tratamento clínico não funcionou ou diminuiu o efeito

Muitos homens começaram a tratar a disfunção erétil com remédios e injeções, porém sem resultados satisfatórios. Outros, a princípio, tiveram sucesso, mas no decorrer do tempo o problema continuou se agravando, causando um aumento nas dosagens necessárias e diminuindo o efeito do tratamento clínico. Por isso é importante estar sempre de olho no desempenho do seu amigão.

 

Quando o paciente não se adaptou aos comprimidos ou injeções

O uso de medicamentos ou injeções para estimular a ereção estão condicionados à alguns efeitos colaterais, como obstrução nasal, dor de cabeça e rubor facial. Não são todos que passam por isso, mas se você notar alguns desses sintomas durante o tratamento clínico, fale com o seu médico para a situação não se agravar.

Uma outra desvantagem das injeções, e que faz com que muitos homens não queiram esta forma de tratamento, é a inconveniência de sua aplicação. Ela deve ser feita bem na hora H, atrapalhando o clima da relação. Nessas situações é normal o homem omitir isso da sua parceira(o) e usar a injeção escondido. Esta não é uma situação que eu indico pois pode abrir pressupostos para interpretações equivocadas da outra parte, como o uso de drogas ilícitas, por exemplo.

 

Quando há fibroses associadas à disfunção erétil

Muitos pacientes podem perceber o aparecimento de placas de fibrose no interior do pênis (abaixo da pele) durante o tratamento clínico, devido ao uso contínuo de injeções para estimular a ereção, por exemplo. Além de causar dores, isso pode provocar deformidades no pênis, fazendo com que ele entorte, reduza de tamanho ou afine.

A falta de ereções involuntárias firmes, tanto noturnas quanto matinais, também é um indicativo de que algo não vai bem. Esta situação pode estar relacionada à condições como Diabetes e Câncer de Próstata, que por sua vez causam fibroses e até a diminuição no tamanho do pênis.

 

Quando a anatomia do pênis favorece a curvatura peniana

Pênis muito compridos e afinados têm a tendência de ficarem curvados ao longo do tempo, devido a um problema de sustentação. Se a qualidade da ereção é boa, mas, ainda assim, você observa que o pênis dobra durante o ato sexual, isso é um sinal de atenção para ser discutido com um médico especialista.

Uma avaliação detalhada é que vai definir a necessidade de colocar a prótese, muitas vezes de forma preventiva, para evitar problemas mais sérios, como a Doença de Peyronie.

 

Quando a reposição hormonal não obteve sucesso

Outra ocasião é quando a disfunção erétil persiste mesmo quando a testosterona está dentro dos padrões de normalidade, inclusive quando já foi feito um tratamento de reposição do hormônio.

Já em pacientes com idade avançada, nem sempre a reposição de testosterona é recomendada, devido ao risco de aumento na próstata.

 

CUIDADOS COM A INDICAÇÃO DA PRÓTESE PENIANA

Você conheceu acima alguns indícios de que a solução para os problemas de ereção é o implante da prótese peniana, e este poderá ser o tratamento definitivo para a disfunção erétil. Vamos supor que o seu urologista indicou a necessidade de um implante peniano. E agora?

Não há motivos para se preocupar. Quando feito com cuidado e orientação médica especializada, é um tratamento seguro, eficiente e com alto índice de satisfação do casal. Mas é necessário um cuidado em especial para garantir o melhor resultado, como avaliar se houve alguma perda de tamanho e fazer a reconstrução peniana para alongar, recuperar o maior comprimento e diâmetro possíveis.

Se você sente alguns dos sintomas citados nesse post e está em dúvida sobre qual caminho seguir, clique no botão abaixo para preencher um formulário de pré-análise e eu poderei te ajudar com os primeiros passos.

 

RECEBER PRÉ-ANÁLISE

Dr. Paulo Egydio

MD, PhD, Referência Mundial no Tratamento da Doença de Peyronie, Pênis Curvo e Implante de Próteses Penianas. Doutor em Urologia pela USP, CRM 67482.





Inscreva-se no blog