Afinamento peniano: Causa e tratamento da deformidade em ampulheta

POR Dr. Paulo Egydio

Afinamento peniano em ampulheta
Se você tem percebido mudanças em seu órgão sexual e está preocupado com afinamento peniano, é hora de buscar informação e um especialista para avaliar o seu quadro, pois pode ser necessário realizar uma cirurgia.
 

O afinamento pode ter várias causas e determiná-la corretamente é o segredo para que o paciente receba o tratamento mais adequado, a fim de recuperar, principalmente, a funcionalidade do pênis. 

No blog que você vai ler a seguir, vamos entender porque o pênis perde calibre e como é possível solucionar a deformidade para que o homem tenha capacidade penetrativa outra vez.

Causa do afinamento peniano

O que causa o afinamento do pênis é a formação de fibroses na parte interna da túnica albugínea.

A fibrose nada mais é do que uma cicatriz, e a túnica albugínea é a membrana que reveste o membro masculino. 

Quando a túnica albugínea sofre alguma espécie de remendo, bem no local da cicatriz ocorre uma perda de elasticidade. Assim, quando o pênis estiver pressurizado, o(s) local(is) em que há fibrose(s) pode(m) apresentar uma curvatura ou um afinamento. 

Como as fibroses ocorrem?

Existem algumas causas para o surgimento da fibrose peniana.  

Uma delas é a Doença de Peyronie, uma condição que sempre abordamos neste blog. Ela é gerada por traumas e/ou microtraumas no pênis, que desencadeiam um processo inflamatório e cicatricial. 

Outra possibilidade é após o homem se submeter a uma cirurgia radical da próstata. Às vezes, o pênis deixa de apresentar ereções noturnas, que são comuns e saudáveis. Com isso, ocorre uma menor oxigenação sanguínea dentro do tecido peniano, um ambiente favorável para desencadear as fibroses. A má oxigenação também pode acontecer quando o homem sofre com a disfunção erétil.

Quando o paciente sofre uma fratura durante o ato sexual, a túnica albugínea pode se romper e o local fraturado é passível de cicatriz. 

Diabetes também está associada à formação de fibroses em médio e longo prazo, pois essa comorbidade favorece o processo inflamatório e reduz o fluxo sanguíneo.

Tipos de afinamento peniano

Existem quatro tipos de afinamento peniano causados pelas fibroses. Saiba quais são eles:

Afinamento total na haste peniana

É quando a túnica albugínea como um todo perde a elasticidade. Assim, o afinamento não aparece em um só ponto, mas sim em toda a haste, o que configura um caso mais grave por afetar o pênis inteiro.

Afinamento Total

Figura 1. Afinamento em toda haste peniana.

Afinamento parcial

Os casos de afinamento peniano parcial variam. Às vezes, a base fica preservada e a deformidade aparece do meio para a frente ou da ponta para a frente. Em outras situações, o que afina é a base, mantendo a ponta ou metade do membro intactos.

Afinamento na Base ou na Ponta

Figura 2. Afinamento parcial (ou na base, ou na ponta).

Afinamento em indentação

Esse tipo de afinamento surge em apenas um dos lados da haste peniana. Ele pode aparecer em qualquer ponto do pênis, mas sempre de um só lado. 

Afinamento em Indentação

Figura 3. Afinamento em Indentação.

Afinamento em ampulheta

O afinamento em ampulheta é quando a fibrose ocorre em um ou mais determinado ponto da circunferência do pênis, deixando-o com um formato que lembra o objeto. 

Afinamento em AmpulhetaFigura 4. Afinamento em Ampulheta (Hour-glass deformity).

Afinamento e diminuição do tamanho do pênis

O afinamento peniano pode vir acompanhado de uma redução do tamanho peniano, com/sem curvatura.

Podemos considerar um sintoma de Peyronie? A resposta é sim, pois a doença não necessariamente apresenta curvatura peniana. 

Porém, nem tudo é Peyronie. O pênis pode afinar e não se tratar da doença, e sim do anel fimótico, outra condição que deve ser avaliada pelo urologista.

Afinamento peniano e disfunção erétil

Como já disse antes, o afinamento é causado por fibroses na túnica albugínea. Essa membrana mantém o sangue pressurizado no interior do pênis por meio de um mecanismo veno-oclusivo que permite a ereção. 

O processo de afinamento peniano, quando difuso, está comumente associado à disfunção erétil

No segmento afinado, o pênis perde a resistência vertical, ou seja, ele dobra naquele local na hora ou durante a penetração, o que pode agravar o problema.

Tratamento para o afinamento do pênis

O tratamento consiste em uma cirurgia para realizar a expansão tecidual da(s) área(s) afetadas pela fibrose e eventualmente na colocação de uma prótese. O procedimento vai ajudar a recuperar o calibre e a rigidez axial do órgão masculino. 

A expansão é realizada na túnica albugínea, onde são feitos múltiplos cortes de relaxamento para o tecido expandir.  

Embora os cortes sejam feitos no sentido vertical, pois o sistema de expansão é perpendicular à direção do corte, tudo é feito de forma individualizada. 

Para determinar a quantidade, o tamanho e a posição dos cortes necessários, o cirurgião precisa conhecer a fundo a anatomia da deformidade de cada paciente e traçar a melhor estratégia cirúrgica.

Quando o caso exige a colocação de uma prótese, a expansão do calibre também tem como objetivo criar espaço para recebê-la. Nesse sentido, as chamadas manobras adjuvantes, que visam expandir os tecidos até o limite dos nervos, vasos e uretra, devem ser combinadas ao implante da prótese. 

Dessa forma, é mais provável que o resultado seja um pênis com as características que tinha antes, ou o mais semelhante a isso possível.

Se você desconfia de afinamento peniano, esperamos que esse blog seja o primeiro passo para começar a se cuidar. 

A próxima etapa é entrar em contato com minha equipe por meio do formulário que está aqui no site ou via WhatsApp. Vamos ajudá-lo a resolver a deformidade e prezar pelo sigilo e segurança em todos os cuidados. 

Caso queira saber mais sobre o afinamento peniano, assista ao vídeo que publiquei no meu canal do YouTube:Afinamento Peniano

ENTRAR EM CONTATO

LEIA MAIS

Para conhecer mais sobre o trabalho desenvolvido na clínica pelo Dr. Paulo, confira:

Dr. Paulo Egydio

MD, PhD, Dedicado no Tratamento da Doença de Peyronie, Pênis Curvo e Implante de Próteses Penianas. Doutor em Urologia pela USP, CRM 67482, RQE 19514. - Vencedor do Debate do Sobrevivente da AUA em 2019.

INSCREVA-SE NO BLOG